6 de fev de 2015

Viver Mais



No mundo poluído de hoje
onde tantas florestas se transformam em desertos,
onde tantos rios se tornam esgotos,
onde tantas flores são asfixiadas,
nada mais necessário,
nada mais urgente,
nada mais benfazejo
do que ouvir a lição das árvores,
a lição da vida.

As árvores descem raízes no silêncio da terra.
O homem moderno abandonou as raízes,
esqueceu os fundamentos, esqueceu-se.
Existem sem pátria, sem lar, sem fé,
sem esperança, sem amor.
Não vive, apenas sobrevive.
Não sustenta a vida, apenas luta contra a morte.
Por isso, não resiste às tempestades,
tomba, murcha e desfalece.
É preciso reviver as raízes,
                 reencontrar o fundamento,
                 redescobrir a fonte e a última
                                       finalidade da vida.

As árvores crescem silenciosamente,
sabem esperar, são esperança.

Que exemplo para nosso mundo enlouquecido
                 pela velocidade
                 pelo barulho.

As árvores não existem para si mesmas.

Vivem para os outros.

Oferecem-nos a perfeição das flores,
                 o sabor dos frutos,
                 a verde sombra.

Nada nos pedem, são maternais
                 símbolos do amor sem limites.


(Clemente e Henrique Kesselmeier, 1976)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Uive à vontade...

Ocorreu um erro neste gadget