7 de nov de 2010

Des(a)tino


... eu na estrada certa
até seguir conselhos
me perdi pelos canteiros
- me mandaram à merda.


(Cássio D. Versus)

Email: Pré & Mark Ruffalo


"Sexta-feira 13, boa sorte para nós. E aposto minha utópica herança que não há saudade alguma para matar, apenas para ser aliviada. Explico porque não poderei visitá-lo esta semana no próximo email. - Ah, será eu mesma quem está a deixar modéstias a parte? Da sutileza à volúpia, sim, eis o que somos, e tu, o vigarista das vírgulas e reticências, pontos e serafins. Não venha iniciar a longo prazo tuas gracinhas irritativas cheias de perversas intenções que te beneficiarão quando me tomares as batidas e os ares, jamais trocaria a tua presença pela mais apetitosa preguiça, afinal de contas, tal pecado capital me satisfaz no sentido figurado e na maioria das vezes não convém, diferente do meu junkie moderno. Apesar de absolutamente individualista, adoro compartilhar prazeres, sobretudo carnais, contigo. (...) Confesso que não esperava encontrar Ruffalo no teu cinema de anarquia espirituosa, soube inclusive que ele pode ser o próximo Hulk, jamais conseguiria imaginar. Estou com muitos filmes para entregá-lo, e peça mais caso deseje. Neste tempo aconchegante nada mais aprazível que o colo de casa. (Au au) Mel mandando lembranças, terminou seus remédios na quinta e agora apenas mantendo-se nas nebulizações, segunda-feira terá exame de sangue para saber se estará preparada para a cirurgia (tão pomposa e sapeca). Não pense em dívidas comigo, porém se insistir bastante, quem sabe não posso ajudá-lo perdoando-o como tanto almeja? (rs) - Bisous, pedra preciosa no meu sapato.

Para Cássio D. Versus. Da Psicótica."


(Vanessa Souza - 13 de Agosto, 2010)

30 de out de 2010

A lua que segue, amarela





"A thing of beauty is a joy for ever."

"Sumiu do alcance de meus olhos por esses dias. Algum fato inoportuno o acometeu? Imagino que muitos, como suponho ser o costume. Mas, de tudo apesar, encontra-se na tua peculiar serenidade? No fim é o que importa, não? Nada o abala pois tens a convicção de ser certo ou de estar no caminho que escolheu. Mal posso imaginar tuas inquietações intemperadas. Agradeço o teu cuidado ao poupar-me desses dissabores da existência, mas saibas que também tenho vários. E estou aqui. Com bons presságios e momentos, posso dizer. O que não é traduzido ao esquecimento dos (des)amores que o passado já me agraciou. Sabes minha opinião. Essa instituição é mesquinha demais para pôr-me adentro e tragar meus sentimentos à corrosão das regras e cotidiano insustentável. Serei esta que vos fala e beija, talvez sempre, se quer saber... sempre a ousar mais e mudar, mas a essência permanecerá orientando-me como minha natureza, a natureza que eu adotei, não aquela bruta arraigada no interior da humanidade crua. Preciso estar livre para fazer-me feliz o suficiente a ponto de fazer outros felizes também. (...) Desconsidero a ironia pois sei que se ver o que ao meu redor chove em ruínas guardaria a saudade que a ti grita intensamente para um contato mais profundo, em um local protegido para a posterioridade, com atenção dedicada.. (...) Para ti prefiro me permitir ser aberta a intimidade, longínqua por tempos.. (...) Sofrimentos a mim também, mon amour. Saudades imensuráveis. Mas na tal situação em que me encontro quase que se torna difícil escrever até mesmo esta carta. Queimei parte da casa e agora sob cinzas me abrigo, praticamente. Sei que entende. Loucuras de noites e noites e madrugadas e manhãs cinzentas, desoladas.. (...) Cuide-se, e tentarei fazer o mesmo, não além do necessário.

'Perdoe os meus erros que eu aceito os teus pecados.'
Suas próprias palavras, ma petit, me estimulando sempre...

Amo-te."

De Liessa D. Nora. (Março de 2007).

26 de set de 2010

Esmero


Tudo que tu precisa
tá na terra, tá no mar,
e se não estiver no fogo
com certeza tá no ar...

Tá por aí, por lá, pra cá,
então não diz que tá carente,
co' alvorada à tua frente
louca e livre pra te amar...


(Cássio D. Versus)

Perdido


Não há melhor caminho
que andar por aí
perdido

perdido como quem
escreve sem responsabilidade,

perdido como quem
divaga na vontade,

perdido como quem
derrama o VER-SO-NA-VERDADE,

perdido como quem.


(Cássio D. Versus)

29 de ago de 2010

No Âmago do Impulso


1. Transforme três problemas em um.

2. Concentre-se no problema e elimine-o.

3. O que acontecer durante o processo é a vida.

4. Não pense sobre o assunto, apenas sinta a realização.

5. Trabalhe em execuções, não em planejamentos.

6. Mantenha a mente vazia, o corpo disposto e o espírito livre.


(Cássio D. Versus)

Leito


"Tu me despertaste com teu enleio de menina sádica. Formosura e devoção em plena guerra interior. Não nos amedrontamos com os demônios intrusos que aproveitam-se do nosso alvoroço emocional com a única intenção de alienar nossos anjos vigilantes através desses corpos hóspedes que ocupamos, tuas digitais e minhas cicatrizes. Maré afortunada e inexorável, quase tráfego das nossas canções idílicas que eram Campos Elísios. Saliva e sangue e indigência, indolência, ou o que parecer nosso. Vou por aí embriagado de harmonia tua capturada durante as minhas brincadeiras relacionadas a traduções de poesias corporais (dos seus momentos), audácia ardilosa, paixão com fúria desenfreada meio mansa explosão, desejando com veemência ver alguma morte, ainda que tamanha fatalidade posa representar o renascimento de algo superior e respectivamente monstruoso sobre décadas despóticas, o atordoado drama que somos fica a parte. Tudo o que te tanto importa sempre fica a parte. Deverias acordar também, minha pálida companheira."

 Acássio.


(Metal do Meu Espírito, Cássio D. Versus / 2007)

Arte de Amar


Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma.
A alma é que estraga o amor.
Só em Deus ela pode encontrar satisfação,
Não noutra alma.
Só em Deus - ou fora do mundo.

As almas são incomunicáveis.

Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo.

Porque os corpos entendem, mas as almas não.


("Meus Poemas Preferidos", Manuel Bandeira)

22 de jul de 2010

Ameno(s)


sopro de lembrança
na memória loteada,

um canto solto pela casa
vira amizade -
verdade é introspectiva,
a mentira: franca inarredabilidade.

(...)

evite desperdícios, a vaidade,
não se corte,

deixa o sangue escorrer
como seu guia
na boca fria da sorte...

(...)

quanto mais se vai reto
mais a vida se esquiva

melhor morta inteira
do que só um pouco viva

(...)

para A. Alladin


(Cássio D. Versus, 2006)

3 de jun de 2010

Palavras de Lou Salomé


"... para mim a palavra 'dever' é pesada e opressiva. Reduzi meus deveres a apenas um: perpetuar minha liberdade. O casamento e seu séquito de possessão e ciúme escravizam o espírito. Eles jamais me dominarão. Espero, Doutor Breuer, que chegue o tempo em que nem o homem nem a mulher sejam tiranizados pelas fraquezas mútuas."


("Quando Nietzsche Chorou" de Irvin D. Yalom)

...

15 de abr de 2010

Ímpar


"Amar? Longe de mim.
Prefiro a nobreza do ébrio,
misantrópico a enternecer,
tomara Deus deixar-me só..
... assim terei o que viver."

(2006)


(Cássio D. Versus)

12 de abr de 2010

Em Tempos Nublados


Sociabilidade, vaidade...
... superficialidade, vontade,
compromisso, intelectualidade,
religião, ciência, faculdade...

E eu vadio, maltrapilho...
... desinformado, distraído,
corrompido, desmazelado,
tolo, devasso, estúpido...

E costumo sorrir com a vida.

...

(Cássio D. Versus)

9 de abr de 2010

(1888-1935)


"As vezes ouço passar o vento;
e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."

(Fernando Pessoa)

11 de fev de 2010

Unidade


- Há algum tempo não me faço mais das certezas, depois de cruzar por entre espinhos quando antes pisava em terra macia. Agradáveis surpresas, ou quem sabe Zeus brincando com os tecidos das tramas individuais. Muitos gracejos. (...) As essências ficam visíveis quando perdemos nossas proteções. Estava a este extremo há uns quinze dias. E estou leve. (...) ... Está melhor como eu agora? Acho incrível como nossas conversas fazem pontos de luzes brilharem como sóis em canções de verão ritualístico, preciso de mais pessoas que amo ao meu redor para que as asperezas não me tirem as claridades. (...) Digo que encontro em mim o que há nelas e vice-versa, unidade, mon amour, um todo grotesco, rude, mas que assume a forma como as tribos conseguem viver, parâmetros medíocres que ressoam as nossas reflexões, sem elas tão pouco pensaríamos alguns fios de fibra pois não teríamos estes exemplos negativos ou referências contrárias, somos o mesmo pretexto em diferentes lapidações. (...)


Liessa D. Nora (2008).

4 de fev de 2010

Lágrima


Faz parte
da arte
eternizar-se
e deixar-te
ó artista

E tu ainda
choras na poesia
da tua arte?

Por isso vai
a tua matéria
e fica artéria
do teu pranto


(Cássio D. Versus)