27 de jan de 2015

Para que perceba


Talvez eu esteja crescendo
mas talvez eu só esteja perdida.
Não sei se estou subindo ou descendo,
me sinto turvamente compreendida.

Me pediram para escrever mais,
também me pediram para desenhar.
Parece que esqueci como se faz.
Paralisia... Me ensina a andar?

Aonde foi parar o gosto?
Conversar, criar, ver e ouvir.
Some como as expressões no rosto.
Evitei o contato, não posso mentir.

Não estou interessada em drama
então prefiro me restringir.
É um silêncio natural, pois sem alma
não há razão para produzir.
 
 
(Tatá R. da S.) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Uive à vontade...

Ocorreu um erro neste gadget