16 de ago de 2017

E Isto é Amor?


Mandai-me Senhores, hoje
que em breves rasgos descreva
do Amor a ilustre prosápia,
e de Cupido as proezas.
Dizem que de clara escuma,
dizem que do mar nascera,
que pegam debaixo d’água
as armas que o amor carrega.

O arco talvez de pipa,
a seta talvez esteira,
despido como um maroto,
cego como uma toupeira

E isto é o Amor? É um corno.
Isto é o Cupido? Má peça.
Aconselho que não comprem
Ainda que lhe achem venda

O amor é finalmente
um embaraço de pernas,
uma união de barrigas,
um breve tremor de artérias
Uma confusão de bocas,
uma batalha de veias,
um reboliço de ancas,
quem diz outra coisa é besta.

(Gregório de Matos)
 

5 de ago de 2017

Por Meus Mil Demônios


Ódio atroz,
bárbaro,
carrasco,
desapiedado,
descativo,

Que Deus me livre
de tamanha fealdade

ou que o Diabo
sabiamente administre

tal decoroso

sentimento alternativo.


(Cássio D. Versus)

2 de jun de 2017

Além do Comércio


né a alma
que negociamos
por companhia?

né a alma
que faz/desfaz
prosa e poesia?

Diabo, meu caro,
onde compra-se uma?
Quero vendê-la em seguida.


(Cássio D. Versus)

31 de mai de 2017

Estagnado


Falta uma pedra
nesse pensamento,

muito doa o vento
para poucas folhas,

mas o que é pouco
se perde,
adentro, divaga.

Tudo volta,
mas nada se recupera.

E o que mata
é ficar na janela,
mareado à espera.


(Cássio D. Versus)

Ocorreu um erro neste gadget