19 de mai de 2018

VII


Bem mais perto do fim da minha vida,
não ouso perscrutar o quanto fui,
o quanto de anjo torto, gauche ou não -

pois tudo de bom, de mau, se dilui
em Cronos, no tempo, no turbilhão
da ordem no Caos, que sem pressa flui

pré-socrático, imune, sem perdão
em minha heráclita veia, e lento,
festa de sangue, humor e pensamento.


("Nostoi", Armando F.)

VI


Torrentes cruzei pelas vias plácidas
que freqüentei, mais a noite que o dia
a mim se aliou nas artérias ácidas

pulsantes de um mundo que não sentia
as margens fúlgidas e mesmo cegas,
contraditórias, do mundo que eu via.

Sementes deixei - ó mundo, carregas
(mas não o meu, o deles) este fardo
a mais, vingança sutil de um degas

que insiste ainda, com certo retardo,
em se fazer ouvir, criar platéia,
com nome visigodo ou de boiardo

fingindo o renascer de alguma idéia
já que não tem um nome, um latifúndio,
e bota abaixo o céu da Cananéia.

Futuro, nem passado. Sou gerúndio
em mim regendo incréu minha partida.


("Nostoi", Armando F.)

Canto XIII


31. Estendi o braço e de um galho arranquei um ramo. E o tronco clamou: "Por que me partes?" Cobrindo-se logo de negro sangue, prosseguiu: "Por que me feres? Não possuis um mínimo de piedade? Em tempos idos fomos homens, hoje somos lenho, mas ainda quando fôssemos almas de serpente, menos cruel deverias ter a mão."

91. Da triste árvore partiu sopro rijo quem em voz humana isto fez ouvir: "Darei resposta breve e precisa. Quando homem violento, dominado pelo furor, voluntariamente apaga a sua vida, é atirado por Minos ao sétimo círculo. Cai, ao acaso, no meio da floresta, qual semente germina e se faz árvore, cuja fronde serve de pasto às Hárpias, as quais, provocando dor, a esta abrem a janela que são os gritos. No dia do Juízo Final, como os demais iremos procurar os nossos corpos sem que deles possamos jamais revestir-nos, pois não é justo recuperar o que em vida se rejeitou. Serão arrastados para aqui e permanecerão pendentes dos galhos da árvore na qual a alma está reclusa".


("A Divina Comédia", Dante)

Coitado! Que em um tempo choro e rio


Coitado! Que em um tempo choro e rio;
Espero e temo, quero e aborreço;
Juntamente me alegro e entristeço;
Confio de uma causa e desconfio;

Voo sem asas; estou cego e guio;
Alcanço menos no que mais mereço;
Então falo melhor, quando emudeço;
Sem ter contradição sempre porfio;

Possível se me faz todo o impossível;
Intento, com mudar-me, estar-me quedo;
Usar de liberdade e ser cativo;

Queria visto ser, ser invisível;
Ver-me desenredado, amando o enredo;
Tais os extremos são com que hoje vivo!


(Luiz Vaz de Camões)

25 de abr de 2018

Eterno Filho


Senti fome no bairro da satisfação,
pratiquei o esporte mortal do inimigo.
Suplicaram-me a clemência do bom cristão,
e os entreguei febre, tirania e castigo.

- Maturidade é a puerilidade trajando
uniforme de escravo corporativo. (...)


(Cássio D. Versus, 2015)

21 de abr de 2018

Canto XIX


19. "Sou", dizia, "a sereia insinuante. Nos mares desgarro os navegantes, tamanha sedução se desprende do meu canto. Cantando seduzi Ulisses. Do enlevo a que conduz este cantar, poucos logram escapar!"


("A Divina Comédia", Dante)

Torta de Limão


quanto mais se vai reto
mais a vida se esquiva

melhor morta inteira
do que só um pouco viva

para A. Alladin


(Cássio D. Versus, 2006)

Jazz


Minha cachoeira de cachos
sob a lua que resguarda
a confiar nos ares baixos
mergulho mero em teus abraços

Imagine o privilégio que seria
por estas águas ser afogado...


(Cássio D. Versus, 02/18)

Mãe de Jesus e Filho de Jacó


Felipe me diz ter conhecido em seu trabalho
alguém com o mesmo nome de sua avó: Maria José.
Rimos um pouco da piada filosófica que contei
sobre como não podemos fugir de certas "tags" da vida,
e que muitas vezes, elas estão lá por algum motivo.
Eu, por exemplo, morei com a avó dele por três meses,
mas superei todos os "problemas" envolvidos com ela,
por esta razão não encontrarei novamente outra Maria José.

À noite, conversando com uma amiga, pelo Whatsapp,
ela diz estar roubando a internet de um vizinho
usando certo aplicativo que revela senhas alheias de wi-fi.
Por mera curiosidade minha (uma misteriosa curiosidade),
resolvo perguntar o nome do tal vizinho:

José Maria.


(Fevereiro, 2018)

18 de abr de 2018

Ladino


Os sinais são sempre assim, nunca sabemos de onde eles vêm, para que servem, quem exatamente os estão enviando e com quais intenções. Mas com certeza tanto Deus quanto o Diabo usam basicamente as mesmas ferramentas de sedução. Portanto resta apenas o instinto para nos orientar sobre qual direção seguir, ou sobre quando abandonar a estrada. (...) 
"Um dia é sempre melhor do que o outro." Ouvi da janela o "Willie Lopez" dizer (certo andarilho que muito parece com o ator Rick Aviles, do "Ghost", mesmo que certa vez deu-me um velho isqueiro doirado sem gás, eu disse que tentaria enchê-lo para devolvê-lo, o joguei fora semanas depois): "Não existe essa coisa de amanhã ser pior. Um dia é sempre melhor do que o outro."


(18/04 de 2018)

Vespertilio!


Guardiã debilitada, com seu bebê no colo, orando por mais força,
não por salvação.
Abandonada na escuridão e com uma fé inabalável.
Resgatados.
"Vespertilio!" por entre os pios, zumbidos, cochichos,
de monstros, ecoados pelo quarto avermelhado...
E os tambores retumbaram "EGO!"...
Santos baixaram enfermos, vida e morte entrelaçaram-se,
criaturas e criadores afugentaram-se, foram desfeitos os lados,

da energia à magia. Do poder ao medo.

Fez-se LUZ
e a ESCURIDÃO
tornou-se
SEGREDO

- Dois versos unidos. Universo decidido. Qual o enredo?


(D. Versus e Mari de Souza, sobre outubro de 1990)

9 de abr de 2018

Sem Noite, Não


"Se você, meu amigo,
quer se casar comigo,
tenho uma condição.
É haver Noite, na Terra.

Sem Noite, não e
                     NÃO!"

A Uiara lhe disse, vá buscar a Noite;
só casarei com aquele que primeiro
me trouxer a Noite...

"Vá buscar a Noite..."


(Martin Cererê, Cassiano Ricardo)

16 de mar de 2018

Sangues de Março (II)


Veneno jubiloso,
que vale pelo sabor tempestuoso,

visceroso risco a todo gosto

feito humana loucura, insanidade
que é toda paixão sem vestimentas

Venha inventar abrasar ludibriar
meus sentimentos sádicos em relação a
mastigar este delírio que veneramos...

com o amor e a melodia
das envolventes canções
doadas através de um pulso cortado
no meio dos céus noturnos que habitamos....


(Cássio D. Versus e Vitória Cristina)

Ocorreu um erro neste gadget