9 de fev de 2015

Assassinato nas Ilhas Gregas


E de repente, lendo algumas páginas daquele livro que encontrei num velho e querido sebo (ainda no plástico apesar de seu suposto lançamento ocorrido há dez anos ou mais, eleito presente de uma amiga), escrito por um garoto com 15 anos na época, deparo-me com esta belíssima carta (ou tenebroso bilhete) na trama..:

"À estimada senhorita Wilkerson

Não quero que fique aflita, querida. Antes,
quero que se prepare para uma longa viagem.
Deve estar se perguntando do que se trata. Trata-se de
um presente que vou lhe oferecer: uma viagem ao
mundo dos mortos.
Conta-se que a deusa Winness teve o privilégio de conhecer
o inferno e ao voltar escreveu: 'Os mortos,
despojados de tudo devido à passagem pelas sete portas,
que lhes permitem atravessar sete barreiras sucessivas,
dormem ao pé da grande barba do inferno,
cobrem-se com pó e alimentam-se de areia. Cercados
por trevas profundas, vigiados por demônios, que
constantemente lhes trazem tormentos... não podem,
para a maior tranquilidade dos vivos, voltar à terra.
A diversão situa-se ao Lago do Urro...'
Minha cara Valkíria, não gostaria de fazer a mesma
viagem da deusa Winness?
Querendo ou não, minha querida, eu te mandarei para o inferno!

UM ABRAÇO:

BELZEBU"


(Joseph Vaughan)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Uive à vontade...

Ocorreu um erro neste gadget