31 de out de 2011

Minha Revolta


Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
Ao invés de um lápis,
Eu empunhar uma arma.

Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
Ao invés de minh'alma,
Eu apertar um gatilho.

Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
Ao invés de versos,
Eu compor violência.

Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
Ao invés de papel,
Eu rabiscar corpos.

Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
Ao invés de tinta,
Eu derramar sangue.

Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
Ao invés de poeta,
Eu me tornar um sanguinário.

Perdoai-me Senhor!
Se amanhã
A minha revolta por justiça,
Não for apenas poema.


(Gênes Francelino de Alencar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Solte o seu zunido aê..

Ocorreu um erro neste gadget