5 de set de 2011

Os Materiais


Eu quis a palavra reta
feito faca.

Eu fiz do verso o corte brando
do metal.

O lento sal dos anos
não lhe roube o fio.

O inimigo não possa
empunhá-lo durante a luta.

Se o carrasco, algum dia,
levar aos lábios meu poema,

o vidro claro do verso
lhe corte a boca.

E a palavra não se renda
à tortura.

E quando eu disser: pedra,
não se entenda pão.

Quando eu disser: noite,
se encontre nela todo poder de treva.

Quando eu disser: eis o inimigo,
mate-o antes do amanhecer.


(Do livro "Poemas do Povo da Noite", de Pedro Tierra)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Solte o seu zunido aê..

Ocorreu um erro neste gadget